O Sinagências indicou no começo do mês, o servidor da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis – ANP, Claudio Rocha, para uma das vagas voltadas às entidades representativas do setor laboral para membro do Conselho Nacional de Proteção de Dados – CNPD da Autoridade Nacional de Proteção de Dados – ANPD.

Claudio Rocha é servidor de carreira da área da regulação há mais de 12 anos. Atualmente é Encarregado pela Proteção de Dados da ANP e membro do comitê técnico nacional da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) sobre Segurança da Informação, Cibersegurança e Proteção da Privacidade.

O servidor também possui certificação internacional como Data Protection Officer pela Exin e de Lead Implementer da Gestão da Privacidade de Informação pela ABNT, entre outras.

O CNPD é um órgão consultivo composto por membros da sociedade e do poder público. Suas principais atribuições são:  propor diretrizes estratégicas e fornecer subsídios para a elaboração da Política Nacional de Proteção de Dados Pessoais e da Privacidade e para a atuação da ANPD; elaborar relatórios anuais de avaliação da execução das ações da Política Nacional de Proteção de Dados Pessoais e da Privacidade; sugerir ações a serem realizadas pela ANPD; elaborar estudos e realizar debates e audiências públicas sobre a proteção de dados pessoais e da privacidade; e disseminar o conhecimento sobre a proteção de dados pessoais e da privacidade à população.

O servidor, caso seja escolhido para compor o conselho, priorizará a disseminação da cultura da proteção de dados e privacidade. “Não adianta sair aplicando sanção aos controladores e operadores. O Brasil está muito atrasado com relação à segurança da informação. E não existe privacidade sem segurança da informação. Tem que se trabalhar muito nessa área ainda. Deveria haver uma campanha de esclarecimento intensa por parte do governo para que toda sociedade entenda o valor da proteção de dados.”, diz Rocha.

O CNPD é composto por vinte e três membros titulares e suplentes, com mandato de dois anos, designados pelo Presidente da República, que a partir da lista tríplice escolherá os nomes para compor o Conselho.

A entidade oficiou recentemente a Casa Civil, para uma audiência com o general Walter Souza Braga Netto, e além de tratar sobre a equiparação da ANM também pretende conversar sobre a referida indicação.




 A liberação do funcionamento das academias comerciais tem gerado dúvidas entre síndicos e moradores sobre o uso de academias e piscinas de área comum dos condomínios; o advogado especialista em assuntos condominiais, Dr. Wilker Lucio Jales, esclarece a que a analogia não se aplica e o não cumprimento do decreto pode gerar multa para o condomínio



Brasília enfrenta a pior fase da pandemia causada pelo Covid-19, o aumento dos casos levou o GDF (Governo do Distrito Federal) a decretar, novamente, o fechamento do comércio e a proibição de eventos e aglomerações. O decreto inclui as áreas comuns dos condomínios, e os condôminos precisam manter o isolamento e distanciamento, mas vem gerando discussão entre síndicos e moradores. Muitos não aceitam a proibição do uso de academia, quadras esportivas e piscinas, alegando a necessidade de práticas esportivas. O advogado especialista em assuntos condominiais, Dr. Wilker Lucio Jales, esclarece as novas regras válidas para os condôminos.

 

A dúvida está no fato de que o Decreto nº 41.913, apesar de fechar grande parte do comércio no DF, liberou o funcionamento de escolas e academias, seguindo todos os protocolos de combate ao coronavírus. E essa liberação do funcionamento de academias comerciais vem causando debate entre síndicos e moradores. Fabiano dos Santos Silva,  que é síndico em uma condomínio em Águas Claras, vem recebendo diversas solicitações para a abertura das áreas comuns. “Todos os dias eu recebo ligações de moradores solicitando o uso, principalmente da academia, e sempre falam que não entendem o fato das academias comerciais poderem funcionar e a do condomínio, não”, afirma Fabiano.

 

O advogado, Dr. Wilker, explica que as academias liberadas para o uso são apenas as academias comerciais, as que possuem alvará de funcionamento e regras específicas para o controle do combate ao coronavírus e que essa comparação entre o uso das academias comerciais e dos condomínios é comum. O advogado reforça, no entanto, que o novo decreto prorrogou a decisão anterior (nº 41.849), onde estabelece que as áreas comuns dos condomínios permaneçam fechadas, e ressalta que mesmo com apresentação de atestado médico para a realização de exercícios, as áreas devem permanecer fechadas.

 

De acordo com o decreto, o fechamento das áreas comuns está previsto até o dia 28 de março, com possibilidade de outra prorrogação. Até a data prevista todas as orientações precisam ser cumpridas. “Vale lembrar que, mesmo com apresentação de atestados médicos e orientações para a realização de atividades físicas, tanto nas academias, quanto nas piscinas e quadras, os síndicos têm por obrigação legal, manter as áreas fechadas. E o não cumprimento do decreto pode trazer ao condomínio multa e a responsabilidade pode ser atribuída ao próprio síndico”, completa o especialista.

 

Sobre o Dr. Wilker Lucio Jales – Advogado inscrito na OAB Seccional de Brasília-DF sob o n° 38.456, militante no Distrito Federal e Estados vizinhos, sócio proprietário do escritório Jales & Gomes Advogados, com atuação nas áreas cível, contratual, imobiliário e condominial desde 2013. Especialista em Direito Civil, Processual Civil, Imobiliário, Negocial e em Direito e Parlamento, com artigos publicados no Portal Condomínio no Play, tendo realizado diversas palestras em condomínios.

SERVIÇO
Dr. Wilker Lucio Jales

Mídias: https://www.instagram.com/wilkerjales/


 As lives que deveriam ser em comemoração aos 35 anos de carreira musical da artista foram ressignificadas, e serão feitas em homenagem a irmã e sobrinho que faleceram no último fim de semana em decorrência da covid-19

 



último fim de semana mudou completamente a vida e a comemoração aos 35 anos de carreira da guitarrista Marlene Souza Lima. A artista, que tinha preparado seis lives em celebração a sua trajetória musical, precisou ressignificar a festividade em decorrência do falecimento de sua irmã e seu sobrinho, vítimas da Covid-19. A irmã da instrumentista, a funcionária pública aposentada e produtora, Lubélia de Souza Lima, de 59 anos, veio a óbito na sexta-feira (19), e o sobrinho de Marlene, o empresário e produtor cultural Bruno Lima Barros, de 26 anos, no domingo (21). As lives agora serão em homenagem aos seus entes queridos.

 

Emocionada, Marlene Souza Lima declarou que usará o seu talento como guitarrista em tributo a sua família. O momento que estamos passando já era extremamente difícil, e perder duas pessoas especiais para essa doençé mais difícil ainda. Quero que essas lives sejam símbolo de gratidão à Lu, que foi a maior incentivadora da minha carreira, e tenho certeza que ela ficaria extremamente feliz com a minha homenagem, e o Bruno também, afirmou a artista.

 

As apresentações contarão com músicas que a artista vem tocando ao longo dos seus 35 anos de carreira, separadas por estilos: Bossa Nova Lado A, e B, e Jazz Lado A” B, além de composições que estão no CD My Way e no DVD gravado ao vivo, com a execução de músicas compostas há algum tempo, mas que ainda não foram gravadas. Os shows em homenagem aos familiares seguem dentro das datas previstas, nos dias 27/03, 03/04, 10/04, 17/04, e 24/04 (ver programação abaixo), nas redes sociais e no canal no youtube da instrumentista.

 

Sobre Marlene Souza Lima - Nascida no Rio de Janeiro, e criada em Brasília, Marlene aprendeu desde cedo com o pai saxofonista, e mãe fã de bossa nova, o amor pela música. Cresci ouvindo bossa nova, jazz e James Brown. O pessoal de casa fala que quando eu tinha uns dois anos, eu ficava perturbando o ensaio que meu pai e meu tio, que são músicos, faziam em casa, relembra.

 

Em sua trajetória, a compositora acumula experiência e uma formação invejável. Estudou na Escola de Música de Brasília (EMB), onde o violão era o foco inicial, seguido pela descoberta da paixão  pela guitarra. única certeza que eu tinha era que a guitarra seria o meu instrumento de paixão e trabalho, assim como o violão, revela. A instrumentista também teve aulas com os renomados músicos Paulo André Tavares, Nelson Faria, Paulo Bellinati e Mestre Curinga.

 

Programação

 

2ª LIVE: 27/03/2021 às 20h

Tema: live show, de 1h20, onde serão executados temas consagrados e lado B da bossa nova, sob novos arranjos;

 

3ª LIVE: 03/04/2021 às 20h

Tema: live show, de 1h20, onde serão executados temas consagrados do jazz mundial;

 

4ª LIVE: 10/04/2021 às 20h

Tema: live show, 1h20, onde serão executados temas lado B do jazz mundial;

 

5ª LIVE: 17/04/2021 às 20h

Tema: live show, 1h20, com a execução das músicas autorais da musicista Marlene Souza Lima presentes no DVD;

 

6ª LIVE: 24/04/2021 às 20h

Tema: live show, 1h20, com músicas autorais de Marlene Souza Lima e temas autorais de músicos e musicistas da cidade.

 

Serviço:

As lives será transmitidas pelas redes sociais da artista

Youtube: https://youtube.com/c/mslgrupo

Instagramhttps://instagram.com/marleneslimaguitar?igshid=1dcssl1ho2wmk

Tecnologia do Blogger.