Quarentena modifica hábitos de consumo das famílias que passam a cozinhar mais em casa

A quarentena motivada pelo Coronavírus já está modificando os hábitos de consumo das famílias em todo o mundo. A tendência é que essas mudanças que passam tanto pelo setor de alimentos, quanto pelos supermercados e na rotina dos lares, permaneçam mesmo depois do tão esperado fim da pandemia.

De acordo com uma pesquisa da Nielsen Brasil, os latino-americanos, incluindo 50% das famílias brasileiras, mudaram drasticamente os hábitos de consumo, com grandes aumentos nas compras de despensa e limpeza. Itens básicos para cozinhar em casa, como arroz, feijão, farinha, óleo e produtos frescos, como frutas e legumes, tiveram significativo aumento na procura pelos consumidores. Entretanto, a ida aos estabelecimentos, segundo a pesquisa, caiu 6,5% na última semana de março, em contrapartida, o número de itens no carrinho de compras subiu 22%.

Família compram itens para serem consumidos em casa
“As pessoas estão cozinhando mais em casa, optando por frutas e legumes. Mas também percebemos que houve aumento do ticket médio de produtos para as crianças, como chocolates, iogurtes, salgadinhos e biscoitos”, avalia o gerente do Fort Atacadista em Brasília, Willian Lima.

A constatação do gerente reflete que mesmo diante da recessão provocada pelo Coronavírus, as famílias não deixam de adquirir alguns “mimos”, principalmente porque as crianças estão em casa.

Lima, afirma ainda que o consumo de produtos de limpeza, como água sanitária, cloro e álcool gel também tiveram considerável aumento. “A mudança de consumo é perceptível, os clientes tentam comprar mais rápido, tem mais pressa, mesmo com todas as medidas de prevenção adotadas”, esclarece.

O Fort Atacadista, com três unidades em Brasília, Taguatinga, Ceilândia e Sol Nascente passou a operar seguindo todas as recomendações de higienização dos órgãos oficiais, como marcações de distanciamento nas filas, uso de máscaras, limpeza frequente de carrinhos e disponibilidade de álcool gel e pia para lavagem das mãos. Também foram colocados painéis de acrílico para aumentar a proteção entre funcionários e clientes.