A adaptação para a realidade de combate ao novo Coronavirus (COVID-19) tem levado muitos síndicos e administradores de condomínios a esquentarem os neurônios na tentativa de driblar o custo das mudanças.

 

Repositórios de álcool em gel cheios, demarcações em elevadores, controle de entrada de pessoas e limpeza redobrada. As mudanças necessárias para evitar a disseminação em prédios e condomínios acrescentaram novas despesas. A ordem é economizar ao máximo para tentar driblar a crise.

A Portech, empresa de portaria remota, usa tecnologia para ajudar os seus clientes a terem mais segurança e também economizar em tempos de pandemia. “Nosso sistema pode ajudar controlar a entrada de pessoas no condomínio, podemos acionar moradores por interfone, tudo isso sem o contato físico e sem expor funcionários aos riscos de contaminação”, explica o engenheiro de controle e automação, Daniel Boaventura.

Daniel também afirma que naturalmente o uso da tecnologia poupa recursos, garante praticidade, sem abrir mão da segurança, ainda mais em tempos de pandemia. “Remotamente, conseguimos ver pelas câmeras uma luz acessa no corredor sem necessidade. Hoje temos tecnologia capaz de fazer o reconhecimento facial e impedir a entrada de pessoas que não estejam usando máscaras, além de câmeras termográficas, capaz de medir a temperatura de quem chega na portaria”, concluiu.

Alacides Borges, síndico há mais de 5 anos em um condomínio em Águas Claras, destaca que a sua gestão foi desafiadora durante a pandemia, em que precisou tomar algumas providências para contribuir para a redução dos custos. “Tivemos que tomar várias medidas e isso tudo foi necessário, pois com a pandemia, foi preciso fazer aquisição de vários dispenser de álcool em gel, instalados próximos aos elevadores. Fizemos algumas campanhas internas com uso de placas e afixação de novas regras de utilização dos espaços. Além disso, fizemos a desinfecção das áreas comuns com produtos hospitalares para o combate ao coronavirus para prevenção”, destaca.

Para o síndico, os meses mais difíceis foram abril e maio para que as contas não fechassem no vermelho. Borges diz que com a pandemia não foi possível fazer a assembleia anual com a votação de uma previsão orçamentária, já que os custos haviam aumentado. Ele relembra que uma medida essencial foi desligar os aquecedores das piscinas, gerando uma economia de energia elétrica, e também a renegociação de contratos com prestadores de serviços. “O fato de termos uma portaria remota nos possibilitou não termos um aumento do custo com terceirizados. Isso fez com que conseguíssemos equilibrar as contas até outubro de 2020”, defende.

Segundo a Associação Brasileira de Sistemas Eletrônicos de Segurança (Abese), em 2019, o Brasil possuía 300 mil condomínios em funcionamento, porém, apenas 20 mil eram atendidos de forma remota. Entretanto, com a possibilidade de reduzir entre 50 e 70% dos gastos em um condomínio convencional, as estimativas para uma rápida expansão são animadoras.

 

Serviço: Custos da pandemia estão ficando mais caros para as finanças dos condomínios, alternativas inteligentes driblam a recessão


 Após meses de contato estritamente virtual, escolas, alunos e pais se preparam para a volta do ano letivo presencial em diversos estados. Além dos cuidados necessários em tempo de pandemia, especialistas têm chamado atenção para a atualização dos cartões de vacinação. Em alguns estados como Paraná, Roraima e Paraíba, uma lei estadual obriga a apresentação do cartão de vacinação atualizado, no ato da matrícula na escola. A medida serve para instituições de ensino públicas e privadas 

Como a maioria das escolas não exige o documento, a atualização do cartão de vacina acaba ficando de lado,especialmente em ano de pandemia. Segundo dados do  Ministério da Saúde, a cobertura vacinal vem em queda há cinco anos, mas em 2020 atingiu as piores médias. Entre os motivos para os resultados baixos, pode estar o receio da transmissão da covid-19. 

Especialistas da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) afirmam que, nos últimos cinco anos, o número de crianças vacinadas diminuiu. Em 2018, por exemplo, quase 100% (99,7%) das crianças foram vacinadas com a BCG, que protege contra a tuberculose. Já em 2020, esse percentual caiu para menos de 64% (63,88%).

“A vacinação é a forma  mais eficaz de proteger as crianças de diversas doenças graves e que podem ser evitadas por vacinas. Entretanto, a queda da cobertura vacinal pode possibilitar o retorno da poliomielite, sarampo, surtos de febre amarela por falta de vacinação, entre outras doenças evitáveis, que estão no calendário de vacinação da criança e do adolescente”, diz a médica infectologista e gerente médica do Sabin Imunização, Ana Rosa dos Santos.

A queda e a estagnação dos índices de vacinação são fenômenos mundiais. Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), 20 milhões de crianças em todo o mundo não foram vacinadas contra doenças como o sarampo, a difteria e o tétano em 2018. Essa situação resultou em surtos de sarampo em muitas partes do mundo, incluindo o Brasil.

“As vacinas estão há mais de 200 anos combatendo doenças infecciosas. Mas, para garantir a erradicação de doenças, é essencial que todos continuem seguindo o Calendário Nacional de Vacinação”, pontua a especialista.

No Distrito Federal, o Sabin oferece serviço de imunização que atua diretamente em programas de saúde e qualidade de vida, oferecendo prevenção e controle de doenças por meio da vacinação. Estão disponíveis, em unidades e também através do serviço em domicílio, onde é possível adquirir as doses pela loja virtual, mais de 20 tipos de vacinas previstas no calendário de vacinação de bebês, crianças, adolescentes, adultos, mulheres, idosos, trabalhadores e viajantes. 

“Estamos oferecendo ainda orientação do cartão de vacinas nas escolas evitando o atraso do esquema de vacinação. As altas coberturas têm sua importância no impacto coletivo e a rede privada contribui de forma complementar, ”diz Ana Rosa.


 




A campanha denominada “Sua Sugestão Vale uma Parmê”, traz uma participação ativa dos consumidores da casa que podem até o dia 20 de janeiro sugerirem novos sabores de parmegiana e ainda ganhar um prato de cortesia

 

 

Ano novo, vida nova e pratos novos no Restaurante Aquela Parmê. A casa, que fica em localização estratégica em Águas Claras, lança a ação “Sua Sugestão Vale uma Parmê”, na qual os clientes podem enviar, por meio das redes sociais: https://bit.ly/35irqtn   , sugestões de novos sabores de parmegianas, até o dia 20 de janeiro. As 20 primeiras pessoas que sugerirem o(s) prato(s) e os que forem escolhidos para o cardápio ganham uma parmê de graça.


Serão vencedoras as 20 primeiras pessoas que sugerirem novos prato(s) que serão escolhidos para o cardápio (https://aquelaparme.vendadelivery.com/pedir). o resultado será divulgado no dia 23 de janeiro.

 

Segundo o gerente da casa, Mauro Gonçalves, a participação do público é um termômetro para saber o que mais de inovador pode ser incluído no cardápio do restaurante.

 

A casa está aberta de segunda a domingo, de 11 às 22h, no sistema delivery e takeaway. 

 

 

Serviço: Sua Sugestão Vale Uma Parmê: Parmegianas grátis para as primeiras 20 pessoas que sugerirem os pratos escolhidos.
Endereço: Rua das figueiras número 6 loja 15 - Águas Claras, Brasília
Whatsapp: (61) 98156-9038

Dia: até 20 de janeiro

Local: https://bit.ly/35irqtn

 

Cardápio: https://aquelaparme.vendadelivery.com/pedir  

Dias e Horários de Funcionamento: Todos os dias das 11 às 22 (sistema delivery e take-out)

Entregas pelos aplicativos, Ifood, UberEats, Rappi e 99Food

Take-out com descontos e ofertas exclusivas pedindo pelo: https://aquelaparmevendadedelivery.com/pedir 

O restaurante recebe os cartões das principais bandeiras, ticket restaurante, sodexo, alelo, e PIX (61)981569038


Assessoria de imprensa:
GA Comunicação Integrada

Greice Alves
Contato: (61) 99662 6868
Email:greicejornalistamds@gmail.com

 Nicson Vangel, CEO da Âncora, e sua equipe prepararam um e-book gratuito para orientar síndicos e moradores sobre as novas regras impostas pelo novo coronavírus, para os condomínios

Com a pandemia causada pelo coronavírus, os condomínios passaram a ter que se adaptar às novas exigências ao longo da crise trazida pelo coronavírus. No início, a falta de informação prejudicou o convívio e as novas situações colocaram moradores e síndicos em conflitos. No processo de adaptação, novos códigos de conduta foram gerados. O especialista em assuntos condominiais, Nicson Vangel, juntou todas as informações no Guia Novo Normal em Condomínios, em formato de ebook,  que acaba de ser lançado.

O manual, que reúne as novas regras, foi criado para ajudar  síndicos, subsíndicos, moradores e todos que se interessam por gestão condominial e poderá ser baixado nas plataformas da Âncora Condomínios, de forma gratuita.

Para Nicson, as mudanças e novas regras precisam estar acessíveis tanto para quem administra o condomínio quanto para o morador. “O novo normal ainda traz dúvidas e causa pequenos conflitos que poderiam ser evitados com um informativo, uma reunião virtual ou mensagem repassada a todos”, esclarece Nicson. “Precisamos aceitar que estamos vivendo mudanças, e que elas afetam toda a comunidade. É importante que síndicos e moradores estejam cientes sobre as novas regras”, destaca o especialista.

e-book reúne situações reais, que surgiram ao longo da pandemia, e traz possíveis soluções que foram utilizadas e obtiveram excelentes resultados. Uma junção da realidade de diversos condomínios que poderá contribuir para sanar problemas e evitar o surgimento de outros. Dentro do conteúdo os interessados encontram esclarecimentos para situações como: O trabalho do síndico; realização de assembléias; mandato do síndico; taxa condominial; obras; festas e aglomerações; uso de áreas comuns; morador infectado; obrigatoriedade da máscara; entre outros.

O manual traz ainda a aplicação dos 6 “C”, 1) Crianças, 2) Cachorros; 3) Canos; 4) Calote; 5) Carros; 6)Cigarros, que são considerados os problemas mais comuns encontrados em todos os condomínios. “A Âncora foi a pioneira na elaboração de ações de prevenção contra o coronavírus no início da pandemia, criando campanha de conscientização,  de incentivo ao uso de máscaras, e da higienização correta dos condomínios”, lembra Nicson. “É nossa contribuição não apenas para nossos clientes, mas também para toda a população do DF”, reafirma o gestor.

Sobre a Âncora Condomínios – Com mais de 13 anos de atuação no mercado, a Âncora Condomínios presta serviços como consultoria em administração de condomínios, gestão sustentável, mediação e conciliação extrajudicial. Como diferencial, oferece aos clientes o programa Inadimplência Zero, modernas práticas administrativas e alta tecnologia que possibilitam comunicação rápida através de aplicativos.

SERVIÇO

Lançamento do Guia Novo Normal em Condomínios

Âncora Condomínios

Endereço: Sede: Rua Copaíba, 01 – Ed. DF Plaza, salas 913 a 920, Torre A -Águas Claras – DF/

Site :www.ancoracondominios.com.br 

Que 2020 não foi fácil, isso é senso comum. Mas, nem por isso, os brasileiros deixarão de celebrar e comemorar. Este ano, as festas devem ser mais familiares e mais enxutas que dos anos anteriores, conforme mostra a pesquisa da Teads, em parceria com a Netquest. O estudo mostrou que as famílias estarão presentes e devem celebrar em companhia dos entes queridos (60%), ou seja, as empresas que presentearem seus colaboradores vão contribuir para esses reencontros.

                                                                                                      Imagem ilustrativa

“Famílias de colaboradores mais carentes certamente contam com esse a mais para rechear a ceia de Natal”, explica a coordenadora de marketing Regional do Fort Atacadista, Rafaellen Duarte. O atacarejo que já tem tradição nas vendas das cestas de Natal está com opções de cesta de Natal, mas quem quiser também pode montar a sua. “E, se a aquisição for para um número grande de colaboradores, é possível fazer a encomenda diretamente pelo televendas”, comenta a coordenadora. 

Os preços são de R$ 48,90 (Cesta Calvo Pérola) e R$ 66,90 (Cesta Calvo Bronze). As opções trazem produtos como vinhos, panetones, chocolates e frutas em calda. Além das cestas, outro item com bastante procura é o panetone, que pode ser uma opção de lembrança neste fim de ano, e os espumantes, para presentear cliente é uma boa opção. 

Quem preferir também pode dar um toque mais charmoso ao presente. É possível montar uma cesta exclusiva para aquela pessoa especial. É só adquirir os produtos separadamente. O Fort tem uma prateleira com várias opções de castanhas e frutas secas que valem a pena. A vantagem é que o produto já está separado pronto para integrar sua cesta de Natal. Basta juntar um chocotone, barras de chocolates, um vinho e taças que o mimo está pronto. 

Onde encontrar - Na rede Fort Atacadista, que possui três lojas no Distrito Federal, o cliente também pode aproveitar as ofertas exclusivas no setor de frutas, verduras e legumes. Em Brasília, as lojas do Fort Atacadista funcionam de segunda a sábado, das 7h às 22h, e aos domingos, das 7h às 20h.

A Kombi do Vinho e a Gastro Vecci promoveram no início de dezembro uma Experiência Argentina inédita em Goiânia. Eles reuniram degustação de vinhos malbec de distintos terroirs e gastronomia. O encontro contou com o special guest, enólogo argentino Marcelo Peleritti que conversou com os convidados por meio de uma videoconferência.



A sommeliére Emília Carvalho e o empresário Augusto Araújo Almeida foram os anfitriões da tarde e abriram as portas da residência para receber amigos e convidados



Aromas e perfumes que inspiram e despertam emoções e os cinco sentidos foram provados pelas (os) amigas (os) Anahides Bucar, Gylwania Machado, Emília Carvalho, Jacqueline Rodrigues, Alessandra Mendonça e André Torres



E para a experiência ficar completa, quem comandou a parrilla foi o chefe parrillero pela Escuela Argentina de Parrilleros, Gabriel Vecci e sua esposa, Débora Vecci


De Brasília, as amigas apaixonadas pelo mundo dos vinhos Jacqueline Rodrigues (em pé), Gylwania Machado, Anahides Bucar e Alessandra Mendonça (esquerda para direita) foram recebidas pela sommelière Emília Carvalho (em pé), em Goiânia








Tecnologia do Blogger.